Como Interestelar arruinou um remake de buraco negro do diretor de Top Gun: Maverick

Como Interestelar arruinou um remake de buraco negro do diretor de Top Gun: Maverick

Tentar lembrar um mundo antes da corporação Disney ser o intocável deus corporativo do entretenimento é como tentar explicar a alguém que vive em uma ilha tropical como é ser pego em uma tempestade de neve. E, no entanto, uma vez, a Disney era apenas uma empresa de produção normal fazendo filmes estranhos que não definiam toda a cultura pop.

Em 1979, a Disney realmente queria uma fatia daquela torta de “Guerra nas Estrelas”, então eles inventaram um pequeno filme estranho de ficção científica chamado “O Buraco Negro”. O filme contou com o elenco de alto nível de Maximilian Schell, Robert Forster, Joseph Bottoms, Yvette Mimieux, Anthony Perkins e Ernest Borgnine, além das vozes não creditadas de Roddy McDowall e Slim Pickens como robôs. O filme foi um sucesso moderado no bilheteriafoi indicado a dois prêmios da Academia e está para sempre cimentado na história da Disney como seu primeiro filme com classificação PG.

Na maioria das vezes, “The Black Hole” foi esquecido, apenas trazido por fãs obstinados de ficção científica ou veteranos da Disney. Mas em um universo diferente, teríamos um remake do diretor de “Top Gun: Maverick”, Joseph Kosinski. Graças a uma entrevista de O EnvoltórioKosinski confessou que estava trabalhando no remake com o roteirista Jon Spaihts (“Duna”, “Passageiros”, “Prometheus”, “Doutor Estranho”), mas o filme nunca se concretizou porque sua versão era um pouco semelhante a um filme que saiu durante os estágios iniciais de produção – um pequeno filme chamado “Interstellar”.

O remake do buraco negro pode não estar morto ainda

Como Interestelar arruinou um remake de buraco negro do diretor de Top Gun: Maverick

Embora não haja como sabermos o quão semelhante a opinião de Kosinski e Spaihts em “The Black Hole” foi para “Interstellar”, já existe uma semelhança notável apenas no elemento básico da trama. “The Black Hole” lida com, você adivinhou, buracos negros, e “Interstellar” lida com buracos de minhoca. Buracos de minhoca conectam dois pontos no tempo e no espaço, enquanto os buracos negros terminam em uma singularidade da qual nada pode escapar, mas o enredo de exploração dos dois parecia um pouco próximo demais para o conforto da Disney. “Ainda sinto que esse filme é um dos mais exclusivos que a Disney já fez, o original, quero dizer, é selvagem”, disse Kosinski ao The Wrap. “A ideia de uma viagem a um buraco negro ainda é uma daquelas coisas que é muito intrigante porque não é ficção científica.”

Kosinski continuou observando que, como os buracos negros são reais, toda a exploração envolvida exigiria um conhecimento da física real e que a realidade da situação tornaria uma história ainda mais convincente. “Eu só, neste momento, eu não descobri o que isso seria para mim ainda.” Felizmente, Kosinski pode decifrar o código, porque “The Black Hole” é o tipo perfeito de filme para um remake.