Primeiros socorros para cachorros e gatos com sangramentos

Ter conhecimento sobre primeiros socorros é extremamente útil e necessário, principalmente quando se tem cães e gatos em casa, com esse conceito podemos evitar lesões graves. Veja aqui neste artigo, como proteger seu cão e gato com  dicas simples do dia a dia.

Primeiros socorros para cachorros e gatos com sangramentos

Como realizar primeiros socorros em cachorro com sangramento?

Tutores de cachorros sabem bem que os mesmos podem se machucar devido a uma briga com outros cães, durante uma queda, ou podem sofrer lesões por conta de um objeto cortante, como faca por exemplo. Independente do tamanho da lesão, algumas medidas devem ser tomadas para garantir que o cão não terá sequelas.

Para fazer corretamente os primeiros socorros, primeiramente é necessário fazer uma boa avaliação do local do ferimento, se o corte atingir a artéria, poderá ocorrer sangramentos, e neste caso é necessário encaminhar o cão para seu veterinário.

Se o fluxo de sangue continuar contínuo, independente se é forte ou lento, pode causar choques ao animal, para tratar o cachorro corretamente, alguns procedimentos são de extrema importância e podem salvar sua vida, veja abaixo quais são:

Tenha calma

Nessas horas, ter controle emocional pode te ajudar a ter bons raciocínios e tomar as medidas cabíveis para poder tratar o ferimento do cão, procure deixar sempre por perto o telefone do veterinário e a caixa de emergência.

Conheça o local do acidente

Se pretende realizar os primeiros socorros com eficácia, procure detectar onde exatamente o cachorro se feriu, para mostrar ao médico onde o cão se feriu se possível procure tirar fotos do ambiente, caso tenha sido com objeto cortante, leve o objeto para mostrar ao médico.

Controle os sangramentos

Para que os primeiros socorros possam ser eficientes, temos que estancar o sangue com o auxílio de materiais absorventes, como as gazes, por exemplo. É possível ainda estancar com papel higiênico, toalha e depois amarrar com pano até chegar ao veterinário.

Para sangramentos mais abundantes, é necessário realizar um torniquete, mas tenha cuidado, caso seja feito de modo errado, pode levar a perda do membro, se o ferimento for simples, é possível limpar com água oxigenada, e com água limpa.

Como lidar com gato com sangramento?

Os gatos são agitados, e não é a toa que dizemos que eles têm 7 vidas, como os gatos podem acessar quase todos os lugares devido a sua facilidade de locomoção, até mais que os cachorros, é comum eles se machucarem e provocar sangramentos e hemorragias.

Especificamente nos gatos, se quer realizar primeiros socorros adequadamente, é necessário saber que podem ser encontrados até 3 tipos de hemorragias, saiba quais são elas e na dúvida procure imediatamente o veterinário:

  • Hemorragia anal;
  • Hemorragia pulmonar;
  • Hemorragia nasal.

 Fique atento com relação à hemorragia nasal, pois neste caso pode ser que o gato tenha ingerido algum tipo de veneno. Se o gato apresentar algum problema de coagulação, tumor ou mesmo infecção seu nariz também pode sangrar.

Se quer controlar a hemorragia em seu gato, existem três métodos que poderão ser aplicados, confira abaixo quais são métodos são esses e aplique-os em seu gato, para que o mesmo possa ficar curado e livre de possíveis sequelas:

Compressão

Para incluir a compressão nos primeiros socorros, é necessário deixar pressionado a área do ferimento com gaze esterilizada, a pressão deve ser mantida por até 5 minutos, com o objetivo de evitar sangramento contínuo e lesões.

Se quer realizar a bandagem, e com isso, parar de vez com a hemorragia, devemos com o auxílio de um antisséptico fazer uma limpeza geral na área do machucado. Em último caso, quando o gato realmente não pára de sangrar, devemos aplicar um torniquete.

Torniquete

Da mesma forma que os cães, o torniquete também é utilizado em gatos, para não cometer erros fatais, este procedimento deve ser feito sempre entre o coração e a área que está ferida. Mesmo depois de conseguir cessar o sangramento, leve o gato ao veterinário imediatamente.

Outros procedimentos que devem ser tomados

Primeiros socorros para cachorros e gatos com sangramentos

Assim como os cães, os gatos também possuem um corpo muito delicado, por isso, na hora de transportar o animal, procure utilizar um suporte adequado, principalmente após o sangramento, com estes procedimentos é possível evitar lesões mais graves. Veja a seguir, que atitudes devem ser tomadas antes de levar o animal em algumas situações abaixo:

Atropelamento

Sempre verifique se há possibilidade de um sangramento, e se houver limpe toda a área com gaze, se houver indícios de fratura, procure deixar o membro na posição anatômica, dessa maneira reduzimos o risco de o animal se machucar ainda mais.

Se quer evitar uma movimentação, o mais indicado é utilizar uma régua ou tábua, assim, não há como o animal se mover até que chegue  no hospital para fazer os primeiros atendimentos, e assim deixá-lo mais seguro.

Queimadura

Para não deixar mais nenhum tecido do corpo se queimar, o ideal é lavar a área que foi queimada com água fria, com isso, conseguimos proteger o restante do corpo até que seja feito os primeiros socorros no hospital, e com isso, o quadro não se torna tão grave.

Cortes e feridas

Com o auxílio de uma toalha limpa, deixe comprimido a área da região, assim, podemos evitar lesões mais graves, como problemas com coagulação, e também conseguimos evitar sangramento contínuo até que o animal chegue ao hospital.

Insolação

Evite deixar os animais muitas horas no sol, pois seu organismo pode atingir uma temperatura de até 40ºC, se morar em locais muito quentes, o mais correto a se fazer é colocar uma toalha úmida sobre o animal, para que a temperatura possa diminuir gradativamente.

Dicas úteis para envenenamento e convulsão

Devemos lembrar que, as dicas são válidas para cachorros e gatos, no entanto, mesmo  que não haja necessidade, após os primeiros socorros temos que levar os animais ao médico, pois somente o médico poderá ter certeza que não há perigo nenhum. Veja a seguir, como lidar com as seguintes situações:

Envenenamento

Quando há situação de envenenamento, é necessário levar o produto que envenenou o animal, junto com o bichinho ao hospital, se misturar carvão ativado e dar para o pet, o produto poderá sair nas fezes, mas mesmo assim, deve levar o animal ao médico.

Convulsão

Se o animal estiver convulsionando, recomenda-se retirar qualquer objeto cortante, assim, evitamos que o animal se machuque ainda mais, na hora de transportar ao hospital para fazer os primeiros socorros, coloque um acolchoado para protegê-lo.

Para facilitar o atendimento na chegada do hospital, é importante que o dono tenha os seguintes itens para os primeiros atendimentos, confira logo abaixo, quais são esses itens e deixe-os separados em sua residência:

  • Contato do veterinário;
  • Carteirinha médica do animal;
  • Spray antisséptico;
  • Bandagem protetora;
  • Carvão ativado;
  • Tesoura;
  • Toalha ou pano limpo.

Lembre-se, assim como os seres humanos, os animais nunca devem ser automedicados, apenas siga as orientações que foram transmitidas aqui no artigo, e leve seu cão ou gato ao médico o quanto antes, somente o médico pode receitar medicamentos na medida certa.

Tenha cuidado com receitas caseiras, e na dúvida não utilize, ligue para o  veterinário, pois certamente este profissional com muita calma vai te passar as orientações que são necessárias  para fazer com que seu cão ou gato fique curado.

Evitando fraturas em filhotes e em cães de pequeno porte

Qualquer raça de cachorro que seja mini ou micro, pode correr o risco de sofrer algum tipo de fratura, por exemplo, um cão que tenha 25 cm de altura, se este cair do colo do seu tutor, a altura pode atingir uma diferença de até 6 vezes maior que a sua.

Primeiros socorros para cachorros e gatos com sangramentos

Para essas raças, seus ossos das patas dianteiras são extremamente frágeis e requer cuidados, inclusive é comum estes pequenos deixarem fraturar rádio e ulna, por apresentar ossos  muito finos as chances de sofrer fratura dos braços e pernas são maiores.

Dependendo do grau da fratura, os animais podem ter dificuldades de locomoção, e nestes casos, devem ser tratados com medicações anti-inflamatórias e analgésicas, também é necessário realizar um exame conhecido como radiográfico.

Os especialistas recomendam que, para fazer os primeiros socorros corretamente, quando há suspeita de fratura, se o animal estiver chorando, os tutores devem encaminhá-lo ao ortopedista veterinário, pois este profissional, se for o caso, irá indicar sessões de exercícios para amenizar a dor, ou outro procedimento que seja útil para o bem-estar do animal.

Tenha cuidado com a locomoção de seu cão ou gato, se sentir que eles estão fraturados, o ideal é colocá-los em uma caixa transportadora, dessa forma, não há como eles se moverem e se machucarem ainda mais.

Após passar pelas sessões de ortopedia, adapte toda a residência, pois assim, o animal pode se mover com mais tranquilidade, sem o risco de sofrer maiores danos, esta raça embora seja de pequeno porte não é indicado para crianças, e devemos evitar que eles subam ou desçam de camas e escadas.

Por terem ossos frágeis, é indicado uma rotina de exercícios para deixá-los mais fortes, pois esta espécie de cães têm o costume de ficar o tempo todo no colo dos donos, o que faz com que eles fiquem mais sedentários.

Conclusão

Se quer aprender um pouco mais sobre primeiros socorros, venha conferir o conteúdo exclusivo de nosso blog desenvolvido exclusivamente para os cuidados com o universo pet. Se deseja que se seu cão ou gato tenha muitos anos de vida, não deixe de seguir nossas dicas.

Esperamos que aproveite nossos conteúdos!

Como tratar cachorro com virose?

Cachorro com virose tem tratamento, no entanto, é necessário começar o tratamento o quanto antes, pois a virose poderá levar ao óbito. Os vírus podem causar diversos sintomas, que somente os veterinários conseguem tratar, vamos falar mais sobre virose aqui neste artigo.

Primeiros socorros para cachorros e gatos com sangramentos

É possível detectar cachorro com virose?

Em todo o mundo, esta é uma das principais causas de morte em cães, por isso, quem tem um cãozinho em casa deve ter muito cuidado, e aprender a observar os sintomas o quanto antes. Imediatamente, o cão deve ser encaminhado ao veterinário, caso haja algum sintoma suspeito.

Cachorro com virose ou com Cinomose, como também é conhecida deve ser tratada com acompanhamento médico. Esta doença costuma afetar os cães logo no primeiro ano de vida, este vírus costuma ser muito resistente, e pode sobreviver a ambientes secos e frios.

Se não for combatido a tempo, pode afetar os demais órgãos do corpo do cachorro, o que pode dificultar ainda mais o tratamento. Caso o cão não tenha tomado a vacina de prevenção ou esteja com a imunidade baixa, este poderá contrair este vírus mais facilmente.

Ter contato com cachorros infectados também poderá ocorrer a transmissão do vírus, por vias respiratórias, ou seja, se o ar estiver contaminado, os cachorros que estiverem no ambiente podem contrair este vírus.

Animais que já estão doentes também podem transmitir o vírus, que poderá ser por meio de um espirro, ao fazer suas necessidades ou apenas pela respiração. Quando o animal já está debilitado, recomenda-se não expor ao ar livre, este deve repousar e os donos devem seguir as orientações do veterinário.

Este vírus pode ocorrer em filhotes que tenham entre 3 a 6 meses de idade, pois os mesmos sofrem de perda de anticorpos maternos, já os cachorros mais idosos também exige cuidado, pois estes podem contrair o vírus mesmo com idade mais avançada.

Quais os principais sintomas do vírus?

Para que esta patologia possa ser tratada mais rapidamente, os donos dos animais devem ficar atentos com relação à sintomas comuns de qualquer doença, como por exemplo, a febre, vômito, corrimento ocular e nasal, problemas nervosos como os tiques e as paralisias.

Depois do período de incubação, que costuma ocorrer entre 3 a 15 dias úteis, os sintomas podem aparecer gradualmente, caso o quadro piorar poderá atingir o sistema respiratório do animal, dessa forma cuidar de cachorro com virose requer paciência e muitos cuidados.

A maneira como o vírus vai responder no organismo, irá depender do sistema imunológico que cada animal possui, para muitos veterinários, os casos mais complicados de tratar é quando afeta o sistema nervoso do cachorro.

Independente do grau que a doença já esteja, é necessário manter uma alimentação adequada, respeitar os horários dos remédios estabelecido pelo veterinário, e cuidar para que outros animais não sejam contaminados também.

Procure manter o local onde o cachorro com virose está hospedado sempre higienizado e livre de pragas, se o mesmo apresenta sintomas semelhantes a uma gripe, evite levar para passear em dias mais frios com ar mais úmido.

Se deseja que seu animal de estimação tenha uma qualidade de vida mais razoável, e um tratamento mais eficiente, respeite a orientação do veterinário, e nunca dê medicação para  seu cachorro por conta própria, pode ser fatal em muitos casos, cachorro com virose é necessária muita atenção.

Como tratar a cinomose?

Devemos tratar os sintomas que vão aparecendo com o passar do tempo, ainda não existe medicação específica para este vírus, pois está em fase de estudos e pesquisas em universidades. Neste caso, os veterinários devem tratar os eventos paralelos, como é o caso da febre e do vômito.

Primeiros socorros para cachorros e gatos com sangramentos

Quando levar seu cão para ser examinado, procure relatar todos os sintomas que já foram detectados, dessa forma os médicos podem passar um remédio mais eficiente, não deixe de informar há quanto tempo o cachorro com virose  vem apresentando estes sintomas.

Da mesma forma que os seres humanos, o cachorro com virose que apresentam boa qualidade de vida, possuem uma alimentação regular e praticam exercícios com regularidade, tornam-se  mais fortes quando são afetados por vírus e bactérias.

Quem tem cachorro com virose, deve ficar acompanhando bem de perto o tratamento, pois assim, fica  mais fácil saber se o cão irá apresentar uma boa recuperação ou não. Não deixe de anotar todas as informações fornecidas pelos médicos, com relação aos horários da medicação, os alimentos que o animal poderá ou não consumir.

Nesta fase, o melhor tratamento é manter as orientações passadas pelos médicos, e proporcionar a melhor qualidade de vida ao cão, como por exemplo, garantir uma boa higiene e um espaço suficiente adequado para que este possa descansar.

Somente dê ao seu cão medicamentos receitados pelo médico, nunca dê ao animal medicamentos de procedência duvidosa, pois além de atrapalhar o tratamento pode colocar em risco a vida de seu animal de estimação.

Existe cura para este vírus?

Embora ainda não tenha um  tratamento específico, a cura é possível desde que as orientações sejam cumpridas no tempo estabelecido pelo médico. Os tratamentos atuais são focados justamente na eliminação do vírus, pois o organismo é capaz de excluir quando é receitado a medicação adequada.

Mesmo existindo a cura, ainda há uma alta taxa de mortalidade entre filhotes, isso ocorre porque os mesmos não possuem um organismo resistente contra vírus e bactérias, e os que conseguem sobreviver a este vírus podem acabar apresentando alguma sequela como por exemplo, espasmos musculares ou dificuldade para locomoção.

Como prevenir a Cinomose?

A única possibilidade de prevenção que a medicina veterinária deixa disponível é a vacina, que podem ser a V8 e a V10, existem outras que podem ser receitadas pelo veterinário, caso haja necessidade e se o cão realmente estiver precisando da vacina.

É recomendado vacinar os cães logo nas 6 primeiras semanas de vida, já que cabe ao veterinário decidir sobre qual o melhor momento para se aplicar a vacina, pois o animal precisa apresentar boas condições de saúde e também físicas.

A saúde dos cães é tão delicada quanto a dos seres humanos, e os mesmos além de cachorro com virose, eles ainda podem contrair outras doenças como:

  • hepatite infecciosa;
  • parainfluenza;
  • adenovirose;
  • coronavirose;
  • parvovirose;
  • leptospirose;

Se o objetivo é fazer com que o cachorro com virose volte a ter saúde, leve-o ao médico periodicamente, e nunca é demais lembrar que higiene para animais doentes é sinônimo de qualidade de vida, por isso, cuide do espaço de seu pet com carinho.

Hoje em dia, a medicina para animais de um modo geral sofreu uma forte evolução, já é possível encontrar a cura de doenças mais críticas  e tão graves quanto a Cinomose, no entanto, os donos de animais devem procurar tratá-los bem, e evitar problemas com carrapatos, e outras pragas que também fazem mal para a sua saúde.

Não coloque seus animais em perigo, cuide de sua segurança, coloque grades nas portas, deixe produtos de higiene de limpeza e pessoal longe de seu alcance, tudo pode contribuir para que eles vivam por muitos anos.

Para pessoas que tenham cães que convivem com outros animais, o cuidado deve ser ainda maior, pois os animais podem adquirir doenças de vírus e bactérias com total facilidade, se na sua casa tem quintal com plantas cuide deles também para que não sejam moradia de pragas que prejudicam a saúde dos animais.

Em quanto tempo devo levar o pet ao veterinário?

Assim como os seres humanos, os animais também devem ir ao médico com determinada regularidade, independente de o seu cachorro com virose necessitar ou não de médico, este deve ir com frequência. Esta é a melhor maneira de prevenir diversas doenças, como as fraturas, por exemplo.

Se houver alteração de comportamento, os donos devem observar cada detalhe e informar ao médico imediatamente. Os problemas mais comuns em cães podem ser falta de apetite, vômito, febre, diarréia, qualquer um desses sintomas, encaminhe a um especialista em até 24 horas.

No caso dos filhotes, é recomendado que estes tomem todas as vacinas necessárias até que estejam crescidos, depois de adultos, uma consulta anual já é o suficiente para deixá-los com sua saúde em dia e livre de doenças.

Já os cachorros mais idosos, devido à sua saúde mais delicada, é indicado que estes sejam encaminhados aos médicos em torno de 6 em 6 meses, são necessários realizar exames para saber como está o organismo por completo.

Em alguns casos, os médicos podem pedir hemograma, raio-X do tórax ou ainda podem avaliar a pressão arterial e a função renal do animal, tudo para garantir que os melhores amigos do homem tenham uma vida plenamente saudáveis e não sejam cachorro com virose.

Cuide para que seu cãozinho não seja contaminado por vírus e bactérias, a Cinomose somente pode ocorrer em casos de descuido mas se houver atenção os cachorros podem viver por muitos anos, e sem nenhum problema de saúde.

Resumindo…

Cachorro com virose tem cura e tem tratamento, mas é responsabilidade do tutor do animal cuidar para que este tome todas as medicações necessárias, e fique livre desse vírus. Se quer saber mais sobre como cuidar do seu cão corretamente, não deixe de conferir as novidades do mundo pet, aqui em nosso blog!

Como acabar com carrapatos do cachorro e do quintal

Acabar com carrapatos para algumas pessoas pode parecer um transtorno, ainda mais quando se tem gato e cachorro em casa, mas com algumas medidas simples, fica mais fácil controlar esta praga terrível e deixar o ambiente higienizado.

Aprenda agora como acabar com carrapatos

Podemos observar os carrapatos adultos com mais facilidade do que as próprias pulgas, por isso, o processo de acabar com carrapatos é muito mais simples, se quer saber se o cachorro está com carrapatos ou não, é necessário analisar o corpo todo para ter certeza.

É possível encontrar carrapatos nas virilhas, nas orelhas, entre os dedos, e inclusive nas axilas. Também podem ser encontradas na forma de larva, que são mais difíceis de serem localizados, a forma de larva é muito pequeno e bem parecida com uma pulga. Veja a seguir, dicas úteis para eliminar os carrapatos de uma vez só no ambiente e nos cães:

1- Procure primeiro no cão

Análise os lugares favoritos dos carrapatos nos cães, geralmente estes costumam ficar em lugares mais escondidos, como as orelhas e as unhas, se o animal estiver se coçando muito pode ser um sinal de alerta que deve ser investigado pelo  veterinário.

Nunca mate os carrapatos por conta própria, pois isso, poderá causar uma infecção de pele no cachorro, o mais correto é utilizar produtos que fazem com que o carrapato se solte naturalmente, e depois acaba morrendo sem causar lesões.

No entanto, não basta apenas controlar os carrapatos somente no cachorro, devemos lembrar que, um carrapato fêmea pode colocar até 3.000 ovos no ambiente, quem tem cachorro em casa deve eliminar de vez todos os ciclos do carrapato.

Para isso, procure dedetizar o ambiente sempre que possível, e leve seu cão ao veterinário regularmente, utilize apenas produtos de confiança e que são testados e aprovados pelo INMETRO, principalmente se na casa existem pessoas alérgicas.

Ter cuidado com os cães requer paciência e atenção, independente de seu tamanho, alguns podem ter uma saúde mais frágil, e por isso, seus donos devem ficar muito atentos, quando há qualquer sinal de desconforto.

2- Elimine os carrapatos do ambiente

Não devemos nos esquecer que, os carrapatos podem estar no ambiente sob a forma de larvas, ovos, ninfas e adultos, devido a isso, se pretende acabar com carrapatos no seu ambiente, dedetizar o ambiente é apenas o primeiro passo.

Não importa se a pessoa mora em casa ou em apartamento, existem lugares onde os carrapatos podem ser encontrados, e os donos de cachorros devem ficar de olho nesses lugares, pois os carrapatos possuem uma facilidade incrível de subir até mesmo paredes, confira abaixo alguns desses lugares:

  • Grama de jardim;
  • Canis de alvenaria;
  • Casinhas de cachorro.

 Se a infestação estiver em um nível crítico, é possível que os carrapatos estejam até dentro de casa, e neste caso acabar com carrapatos torna-se ainda mais complicado. Para evitar chegar nesse grau, pesquise onde está o foco da infestação, e assim, tome medidas preventivas.

Para pessoas que moram em condomínios, o cuidado deve ser ainda maior, pois será necessário uma campanha coletiva, para combater o carrapato em todos os cantos do condomínio, é necessário transmitir o alerta a todos os moradores que têm cães na residência.

3- Escolha dos produtos para usar no cachorro

Podemos encontrar bons produtos para acabar com carrapatos no mercado de pets, hoje em dia já existem xampus, sabonetes, coleiras, talcos, spray e até mesmo comprimidos, veja abaixo como funciona cada um deles:

Primeiros socorros para cachorros e gatos com sangramentos

Xampu e sabonetes

Trata-se de uma opção mais acessível, principalmente para pessoas que não têm condições para comprar medicamentos como por exemplo, pipetas e sprays. Ao utilizar este produto, é necessário muito cuidado, pois o animal poderá acabar ingerindo e assim criando complicações para sua saúde.

Talcos anti carrapatos

Poderá cair no ambiente, contribuindo assim para a redução dessa praga, possui fácil aplicação e também pode facilitar o controle para o ambiente. Dessa forma, fica mais difícil o carrapato impregnar no cachorro.

Coleiras anti carrapatos

Para acabar com carrapatos, esta pode ser uma opção bastante favorável, estas coleiras podem ser encontradas em lojas de pet shops, e possuem uma duração em torno de 7 meses,  porém, algumas são realmente eficazes.

Este remédio deve ser liberado aos poucos, e por isso, os donos dos cães devem evitar ficar colocando a mão para não causar irritação em sua pele. Não coloque a mão na boca, e muito menos nos olhos depois que colocou a mão na coleira, o correto é lavar as mãos imediatamente.

4- Saiba utilizar o talco

Conforme mencionado no artigo, o talco pode ajudar para acabar com carrapatos, se utiliza aspirador de pó em sua casa, coloque um pouco desse talco dentro do aspirador, e vá aspirando a casa toda. Caso tenha na sua casa, tábua corrida ou tacos, o aspirador poderá fazer um bom efeito.

Tenha controle também nos muros, e nos ambientes de alvenaria, pois os carrapatos costumam colocar ovos nesses locais. Possui custo/benefício muito acessível, não há necessidade de mudar as pessoas e os animais do ambiente para realizar a sua aplicação.

Utilizar sprays ou aerossóis pode ser uma opção também interessante para controlar carrapatos nos ambientes, devemos utilizar principalmente em muros e paredes, e jamais aplique no animal, se mora em condomínio, esta pode ser uma opção muito discreta para acabar com carrapatos que estejam na casa de seu vizinho.

Algumas marcas de sprays conseguem eliminar até mesmo os ovos, por até 6 meses após a primeira aplicação. Possuem secagem rápida de no máximo 30 minutos, mas é necessário esperar secar bem, para poder colocar de volta os animais na casa.

Sua venda deverá ser realizada somente sob prescrição do médico veterinário, por se tratar de um medicamento tóxico é  recomendável ler a bula antes de utilizar. Caso haja dúvidas, não utilize sem consultar o médico do seu cachorro.

5- Uso de Inseticidas

Primeiros socorros para cachorros e gatos com sangramentos

Se deseja acabar com carrapatos de uma vez por todas, costuma ser utilizado inseticidas a base de Deltametrina, no entanto, recomenda-se aplicar somente em ambientes que tenham animais de grande porte como por exemplo, bovinos e equinos.

Nunca aplique diretamente nos animais de companhia, para fazer corretamente sua aplicação, devemos usar borrifadores, e panos úmidos com a diluição. Contém um efeito de até 14 dias, sendo necessário realizar sua aplicação a cada duas semanas.

Pode ser utilizado para combater outros tipos de pragas como pulgas, traças e até baratas. Para aplicar,  recomenda-se retirar todos os animais do ambiente, para não causar nenhum tipo de infecção, também é necessário o uso de máscaras e de óculos na pessoa que for aplicar.

Apenas os médicos veterinários podem receitar a prescrição para inseticidas, por se tratar de medicamento tóxico, alguns cuidados são importantes para evitar lesões, e outros transtornos tanto para a saúde do homem como para a saúde dos animais.

Procure aplicar sempre aos finais de semana, na parte da manhã sobre os muros e os pisos, deixe as janelas abertas para deixar o ambiente arejado, passe o dia fora de casa até que o ambiente fique todo seco e não cause mais nenhum dano.

Se está com medo de passar dedetizador por conta própria, é possível contratar uma empresa dedetizadora, este tipo de serviço costuma ser muito eficiente e algumas empresas dão garantias de mais de seis meses. Além disso, sua família não ficará exposta aos riscos que esses produtos podem trazer para nossa saúde.

Uma empresa dedetizadora pode ser a melhor opção para quem busca por uma solução mais rápida e que pode ter uma boa durabilidade, logo, é fundamental pesquisar sobre a credibilidade dessas empresas, e verificar se as mesmas utilizam produtos de boa procedência.

6- Cuidado com receitas caseiras

Na internet, podemos encontrar muitas receitas para acabar com carrapatos, todavia, nem todas podem ser 100% eficientes, e devemos ter cuidado para não acabar prejudicando nossa saúde, principalmente com relação às pessoas que são alérgicas.

Boa parte dessas receitas não possuem base científica, e exatamente por isso, é que temos que ter muito cuidado, se tem dúvidas sobre como acabar com carrapatos, fale com o veterinário que cuida de seu cachorro, certamente, este profissional é devidamente capacitado para tratar desses problemas.

Nunca inclua alho na comida dos animais, pode ser extremamente tóxico a médio prazo, utilize a prevenção com  anti carrapatos a vida toda do cão, é a maneira mais eficiente de combater este tipo de praga, deixe o ambiente sempre limpo e higienizado.

A espécie do carrapato marrom é a mais conhecida e que pode levar doenças para os cachorros e também para o homem, eles podem causar infecções por meio de protozoários e por vírus. Nas casas onde existem cachorros, os donos devem ter muita cautela e manter uma rotina de higiene rígida.

Nem todos os alimentos são indicados para cães, como o chocolate por exemplo, pode acabar afetando o sistema digestivo, por isso, os veterinários recomendam que os cães devem ficar longe de alimentos como esses.

Em resumo…

Acabar com carrapatos pode ser trabalhoso mas é seguro para sua família e mais ainda para seu animal de estimação. Se deseja saber mais sobre como ter cuidados com seu cão, e deixá-lo saudável até a sua morte, ah… e não deixe de acompanhar as dicas aqui em nosso blog.

Bicheira em cachorros e gatos

Bicheira, também conhecida como miíase, é o termo popularmente usado para se referir a uma condição realmente grosseira: uma infestação de larvas. No entanto, é uma situação que pode ocorrer muito fácil e rapidamente nos pets. Assim, é muito importante saber como lidar e evitar com bicheira em cachorros e gatos.

Sim, pode ocorrer facilmente, e é muito comum identificarmos esse problema quando existe. Mas não pode se tratar o problema de qualquer maneira. É preciso de alguns cuidados específicos para isso.

E assim como se precisa de cuidados para tratar, cuidados também são necessários para evitar. Enfim, não vamos apenas apontar o problema para você. Neste texto iremos passar para você todas as informações para você saber lidar com bicheira em cachorros e gatos.

Primeiros socorros para cachorros e gatos com sangramentos

Bicheira em cães e gatos

O lado ruim da bicheira é que elas são surpreendentemente comuns. O bom é que são muito fáceis de curar. Mas esse não é o caso se uma grande parte do corpo ou órgãos do pet tenha sido devorada. E sim, bicheira em cães e gatos é um grande risco ao animal se não for tratada.

Infelizmente, qualquer número de tratamentos caseiros complica situações para os cães. Enquanto o tratamento real é direto e na maioria das vezes não requer hospitalização. Por isso, o mais importante é sempre saber qual é o procedimento correto para se realizar.

A parte “boa” é que as larvas também mantêm a ferida asséptica. O tecido com a Bicheira em cães e gatos não tem carga bacteriana e cura MUITO RÁPIDO. Tudo que você precisa fazer é matar as larvas, impedir a recorrência e não danificar o tecido.

Como ocorre

Sabemos que as moscas se reproduzem botando ovos, que eclodem e liberam larvas. Mas é importante lembrar que elas colocam esses ovos em qualquer lugar que ela identificar como suscetível.

Os locais mais comuns são a cabeça ou a parte de trás da cabeça, as patas, a cauda ou a base da cauda, ​​etc. Ferimentos por perfuração podem ocorrer devido a ferimentos ou até mesmo por arranhões excessivos. Os cães lamberão qualquer ferimento por punção, mas se não puderem e se uma mosca puder se sentar nela, os ovos e as larvas que chocam se tornam as larvas que vemos. O problema é que os ovos eclodem aos milhares e eles têm um apetite voraz. Essencialmente, as larvas estão comendo o cão vivo e podem fazê-lo rapidamente.

Animais de estimação, especialmente aqueles confinados ao ar livre ou que são fracos e debilitados, são particularmente suscetíveis. Isto é, aqueles que tem alguma ferida drenante ou camada úmida embebida em fezes ou urina. Ou uma ferida por punção na pele de um cachorro, especialmente um local que ele não pode lamber.

Tudo isso pode facilmente se transformar em uma Bicheira. Afinal, esses tipos de lugares podem ser o local perfeito para as moscas depositarem seus ovos. Assim que os ovos eclodem, as larvas começam a se deliciar com qualquer tecido morto ou moribundo. Às vezes eles até começam a comer o tecido saudável.

Primeiros socorros para cachorros e gatos com sangramentos

Primeiros socorros em caso de infestação

Antes do tratamento, você precisa se identificar. Mesmo que a ferida não esteja exposta, você pode dizer que é uma ferida por larva.

Primeiramente, cheire o local suspeito. As feridas de larva têm um cheiro pútrido muito forte e inflamação ao redor da área. Isso ocorre porque o corpo tenta defender o avanço do tecido sendo comido vivo, causando inchaço maciço.

E lembre-se, os tratamentos caseiros não serão eficientes ao tratar Bicheira em cachorros e gatos. O material mais comumente derramado dentro de uma ferida de larva inclui aguarrás, clorofórmio, tintura e até gasolina.

Estas são substâncias dolorosas para o cão e têm pouco efeito imediato nas larvas. Nunca use esse tipo de tratamento. Esse é o melhor jeito de ajudar o seu pet. Tudo que não seja o tratamento correto pode ser prejudicial.

Assim, não tente fazer nada que não seja o tratamento correto. Se você ver Bicheira em cachorros e gatos, siga estas etapas que iremos definir.

Curando a Bicheira em cachorros e gatos

Arranje um frasco de injeção de Ivermectina (disponível em lojas veterinárias). Pegue uma seringa de 2 / 5ml e retire o líquido. Mas a ivermectina é um líquido muito viscoso, portanto, não é fácil manusear/trabalhar com o liquido.

No entanto, você vai precisar colocar essa quantidade exatamente na ferida aberta. E não pode ser ao redor, tem que ser exatamente no local. Portanto, a seringa irá te ajudar muito. Descarte a agulha, use apenas a seringa para esguichar a ivermectina com cuidado ‘dentro’ da ferida.

Após esta etapa, não faça nada dentro meia hora, a não ser cobrir a ferida, se puder. A ivermectina mata larvas em contato, mas precisa infiltrar-se completamente. Assim, depois de meia hora, use pinças ou algo do tipo para tirar as larvas mortas.

Lave a ferida com soro fisiológico (RL) e depois com iodopovidona (betadina). Depois, seque a área. Vesta uma ferida com antiobic e curativo, se necessário.

Mas você precisa verificar a ferida várias vezes, para retirar larvas mortas deixadas dentro.

Depois de tudo isso, verifique a ferida a cada 2 dias. Mas não lave e cubra todos os dias, pois o tecido precisa de tempo para se regenerar. No entanto, durante o período de cicatrização da ferida, repita as etapas 4 e 5.

É importante lembrar que alguns tipos de larvas são diferentes de larvas de moscas. Como uma infestação por Cuterebra, que requerem a remoção cirúrgica de larvas. Depois que as larvas são removidas, a infecção de pele subjacente ou outra causa de infestação deve ser tratada.

Primeiros socorros para cachorros e gatos com sangramentos

Prevenção

A melhor maneira de impedir que seu animal se torne um lar de larvas é extremamente fácil. Isto é, garantir que todas as feridas sejam mantidas limpas e que os problemas de pele subjacentes sejam tratados.

Assim como os animais de estimação fracos e debilitados são mais suscetíveis, é importante mantê-los dentro de casa. Além disso, certifique-se de verificar frequentemente seus pelos em busca de urina e/ou fezes.

Tudo isso irá te ajudar a tratar e prevenir Bicheira em cachorros e gatos. Mas lembre-se de levar o seu pet ao veterinário regularmente.

Picada de cobra em cães e gatos

Nossos animais de estimação geralmente são curiosos e brincalhões e se metem em problemas que ninguém imagina que possa acontecer, um deles é a picada de cobra venenosa, e é nessas horas em que não fazemos a minima ideia do que fazer ou dos primeiros socorros a serem feitos.

Mas para ter a certeza que realmente seu animal teve uma picada de cobra, procure por um local inchado com alguma picada nele, o local poderá estar sangrando e o animal sentira muita dor quando pressionado.

O local em que geralmente ocorre a picada de cobra é próximo ao focinho, pois o animal tenta cheirar ou morder a cobra, e é quando ela da o bote para morder.

Quando for realmente constatado que é uma picada de cobra, rapidamente siga as instruções neste artigo, pois uma simples picada pode causar hemorragias no seu pet. Porém, pode acontecer da picada for superficial e o veneno não penetrar, ou, até mesmo da cobra não ser do tipo venenosa. Neste caso o animal sentira apenas dor e inchaço por algum tempo.

Se a cobra for venenosa, o veneno penetrou e o animal não foi tratado, em algumas horas pode apresentar tremores, sonolência, vômitos, falta de ar e sangramento nasal.

Primeiros socorros de picada de cobra em cães e gatos:

  • Procure uma clinica veterinária o mais rápido possível, la o trataram com  soro antiofídico;
  • Localize o local da picada, limpe, coloque pomada antibiótica e mantenha com gelo para diminuir o inchaço;
  • Tente tranquilizar o animal, para mante-lo calmo e não se mexer muito.

A presença de cobras no quintal geralmente acontece por causa da presença de lixos, que atraem ratos, que por sua vez atraem as cobras que é o seu predador natural.

Curiosidades e lendas sobre o Beija-flor

Contam os maias que quando tudo foi criado, faltava alguém que levaria desejos e pensamentos de um lado para outro. Os deuses já não tinham barro nem milho, então pegaram uma pedra de jade e esculpiram uma flecha pequena. Ao terminar, sopraram sobre ela e ela saiu voando. Era o beija-flor.

Já não era mais uma pedra, haviam criado o ts’unu’um, o beija-flor. Era muito frágil e rapido, tanto que podiam se aproximas das flores mais delicadas sem mover uma pétala. Um dia, o homem queria pegá-lo e os deuses com raiva disseram: “Se alguém pegar um beija-flore, ele morrerá”.

E foi assim que a liberdade do pássaro foi respeitada para cumprir sua missão: levar os pensamentos dos homens de um lugar para outro.

Portanto, se um beija-flor voa perto de você, não o assuste, concentre-se em pensar coisas positivas para os outros, deixe ele tomar seus pensamentos e levá-los a essa pessoa amada, deixe-o trazer-lhe os bons desejos daqueles que te amam. Tome como um bom presságio, de amor e muita felicidade.

As asas do beija-flor

Os beija-flores são os mais pequenos dos nossos amigos aviários, eles recebem o nome devido ao zumbido característico que suas asas fazem enquanto voam. Enquanto as asas do beija-flor estão em movimento, elas descrevem o padrão de símbolo infinito. Este movimento pra cima e pra baixo chega a bater 70 vezes por segundo.

Os beija-flores e as flores

Os beija-flores precisam de flores, assim como as flores precisam de beija-flores para sobreviver. As flores fornecem o néctar, e eles contribuem para a polinização das flores, o que lhes permite reproduzir.

A língua e o bico destas aves são especialmente adaptados para se alimenram das flores. Suas línguas têm uma forma de “W” para ajudá-los a “engolir” o néctar. Seus bicos longos permitem que eles facilmente obtenham isso do fundo das flores.

Cores do beija-flor

A plumagem dos beija-flores em três das quatro espécies é principalmente verde. Os machos têm uma mancha azul violeta abaixo do olho e atrás da orelha, eles também têm um remendo brilhante na garganta. A plumagem das fêmeas é semelhante à dos machos, mas as manchas da orelha e da garganta são menores. Suas penas se levantam quando estão excitadas, as quais às vezes e dependendo da luz lhes dão uma imagem mais brilhante.

As penas desses pequenos pássaros são iridescentes, isto é, refletem facilmente a luz, por isso, algumas pessoas as associam com fadas, jóias e chuva. Por esta razão não é raro encontrar tatuagens de beija-flores associadas com fadas, pedras preciosas, jóias e água perto.

Hábitos alimentares do beija-flor

Para serem pássaros tão pequenos, os beija-flores são grandes comedores. Eles podem visitar mais de 1.000 flores em um único dia em busca de alimentos. Eles comem até 60 vezes ao dia para reabastecer a energia que eles usam durante o vôo. Seus pequenos corpos são capazes de digerir alimentos de forma fácil e rápida para obter os níveis de energia rapidamente. Às vezes, eles comem pequenos insetos, mas preferem sem dúvidas néctar.

Migrações do beija-flor

Durante os períodos migratórios, muitos beija-flores viajam grandes distâncias contra a fúria da natureza para seus destinos no sul. Algumas espécies de beija-flores ficam no inverno em sua terra natal, mas a maioria migra para o sul, viajando anualmente até 2.500 milhas.

Durante esta época do ano eles comem demais para poder voar sem para.  Este é outro significado popular que procura refletir sobre as tatuagens dos beija-flores: “pequenos seres que realizam grandes feitos”. Uma lição que também convida você a aproveitar a vida, pois não sabe se você não terá novamente uma oportunidade, também diz muito sobre ser persistente e não desistir de nossos sonhos. De acordo com algumas culturas nativas americanas, tatuagens de beija-flores podem representar o significado da viagem e o desenvolvimento de nossas mentes.

Hábitos de acasalamento do beija-flor

Essas aves geralmente costumam voar sozinhas, aparentemente adoram sua independência e desfrutam da solidão. Quando chega o momento da reprodução, um beija-flor macho fará tudo para ganhar o coração de uma donzela. Se o esforço for convincente, ela corresponderá, mas, se não, ela só vai voar em busca de outro pretendente.

Após o acasalamento, as fêmeas do beija-flor geralmente colocam 2 ovos do tamanho de uma ervilha. Durante a incubação ela só cuidará de aquecer os ovos e o fato de colocar apenas 2, foi associado ao número “2” que representa o eu interior, o momento em que todos nós temos que reconciliar com nós mesmos e no que possamos ou não encontrar nossa própria felicidade. Este é outro dos fatos utilizados em tatuagens de beija-flor, onde são representados e associados de várias maneiras com o número 2 e também representam a necessidade de liberdade e independência.

Os ninhos dos beija-flores

Essas aves constroem cuidadosamente suas casas. Se os beija-flores estiverem morando perto de você, ele poderia simbolizar que você precisa de uma mudança em sua vida.. Isso pode ser tão simples como reorganizar algumas coisas na casa ou remodelar completamente. Muitas pessoas optam por usar tatuagens de beija-flores em seus ninhos para representar sua originalidade ou simplesmente se referindo a mudanças que marcaram suas vidas de forma positiva.

O totem beija-flor

Se um beija-flor se aproxima de sua vida de maneira incomum, você poderia estar na presença do seu totem. Totem é um objeto, ser ou animal natural que nas mitologias de algumas culturas é tomado como emblema da tribo ou do indivíduo e pode incluir uma diversidade de atributos e significados. Se um beija-flor finalmente é seu, tenha em mente que esses pássaros passarão para você toda a sua energia, entusiasmo pela vida, qualidade lúdica, devoção e amor pela paz.

Os 10 animais mais feios do mundo

Esta é uma coleção extravagante dos animais mais feios que se pode ter, alguns merecem o selo de “uma cara que só uma mãe poderia amar”.

Em um programa National Geographic Wild apresenta ‘Freaks and Creeps” dedicada a bichos raros próprios da natureza, no qual a exploradora e zoóloga australiana Lucy Cooke percorreu o mundo.

O programa segue Cooke em três continentes e encontrou, entre outros seres estranhos, um sapo cuja a boca é mais larga que suas pernas.

Compartilhamos com nossos leitores, a seleção de Lucy dos animais mais feios.