Uma pequena história sobre a Esfinge

Entre as patas da Esfinge encontra-se uma estela, conhecida como a “Estela do Sonho”, onde está escrita uma pequena história. A história diz que Tutmosis IV (18.ª Dinastia) adormeceu sob a Esfinge que estava coberta de areia até o pescoço. Tutmosis sonhou que a Esfinge prometera-lhe que se ele a desenterrasse, ele se tornaria rei do Egito. O que aconteceu algum tempo depois.

Desde a primeira limpeza oficial em 1905, sabe-se que a Esfinge esteve coberta pela a areia do deserto e fora desenterrada por diversas vezes ao longo dos tempos. Durante a 18.ª Dinastia, Tutmosis IV provavelmente tenha mandado desenterrá-la. Mas é improvável que o tivesse feito legitimado como rei. Este tipo de história pode ser visto como propaganda de partidários, ou talvez do próprio soberano, assentado e assumindo o poder de faraó como que designado pelos deuses, ou neste caso, a própria Esfinge.

Sphinx Stela - Copyright (c) 1998 Andrew Bayuk, All Rights Reserved Sphinx Stela - Copyright (c) 2001 - Andrew Bayuk, All Rights Reserved

Copyright (c) 2001 - Andrew Bayuk, All Rights Reserved Copyright (c) 2001 - Andrew Bayuk, All Rights Reserved

Copyright (c) 2001 - Andrew Bayuk, All Rights Reserved

As medidas Fantasticas das Grandes Piramides

A altura da grande pirâmide do Egito, pirâmide de Quéops, multiplicada por um bilhão, corresponde, aproximadamente à distância Terra-Sol, isto é, a 149.450.000 Km.

Um meridiano que passe pelo centro da pirâmide divide continentes e oceanos em duas metades exatamente iguais.

A circunferência da pirâmide, dividida pelo dobro de sua altura, resulta no famoso número de Ludof, Pi=3,1416.
As medidas da pírâmide fornece cálculos sobre o peso da Terra.

O solo rochoso sobre o qual se levanta a construção foi cuidadosa e exatamente nivelado

A pirâmide tem 150m de altura, 31.200.000 toneladas de peso, 2 milhões e 600 mil blocos gigantescos

O PODER DA PIRÂMIDE

Nos anos de 1930, um pesquisador francês, chamado Antoine Bovis, descobriu alguns ratos mortos no interior da pirâmide de Quéops (a maior das três). Apesar de estarem mortos há vários dias, esses ratos não apresentavam nenhum sinal de decomposição. Alguns roedores, que certamente haviam morrido há mais tempo, tinham desidratado a ponto de mumificarem. Bovis então perguntou aos moradoreslocais o que estava acontecendo e eles disseram que nenhum tipo de alimento estragava dentro da Grande Pirâmide.

Para tirar a prova, o pesquisador colocou, em um dos corredores do monumento, um punhado de grãos de trigo e uma porção de carne fresca. Três dias depois, ele voltou ao local e verificou que, apesar da umidade que havia no interior da pirâmide, a carne continuava fresca e os grãos de trigo haviam germinado.

Quando retornou a Paris, Antoine Bovis decidiu continuar seus estudos e construiu uma miniatura, em madeira, da pirâmide de Quéops. Obedeceu fielmente as proporções físicas e a orientação magnética do original e iniciou suas experiências. Descobriu que frutas colocadas no interior da réplica não apodreciam, apenas desidratavam e tinham o sabor doce acentuado. Pilhas velhas, depois de alguns dias dentro da pirâmide de testes, ficavam recarregadas e lâminas de barbear recuperavam o corte original.

Bovis também observou que na altura da “Câmara do Rei” (no terço médio, um pouco acima da metade da pirâmide) a energia era mais forte. Como resultados das experiências, ele deduziu que existe uma reorganização celular dentro da pirâmide e que a mesma é um condensador de energia cósmica, In

[the_ad id="1134"]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *